Para Sempre,


são duas palavras que assustam meio mundo e outra grande parte simplesmente finge não existirem. Para sempre não tem nada de assustador. Para sempre é apenas uma forma de expressão que representa, enquanto fizer sentido. Enquanto existir. Tive um namorado que tremia cada vez que lhe dizia "..para sempre". Parece que ainda lhe vejo a cara de pânico. Não era por mal, era só o medo a instalar-se. O medo que eu me agarrace ao para sempre e um dia lho cobrasse (eu, que sou zero contabilista). O para sempre com ele acabou quando deixou de fazer sentido. Quando nada de bom se tirava para nenhum dos dois. Quando os dois, já tão cansados, concluímos que gostar não chegava. Que seria melhor cada um seguir a sua vida e procurar outro alguém a quem fazer feliz, outro alguém que nos fizesse feliz, antes que se instalasse outro tipo de sentimento mais rancoroso, mais negativo. Para sempre não é uma obrigação nem nenhum contrato. É só uma forma de expressão. Pode durar um dia, um mês, 10 anos ou uma vida inteira. Desde que faça sentido, para sempre existe.

2 comentários:

cheeks disse...

Carol, a dualidade feminina masculina é enignática!os homens são mais práticos é verdade,mas nao tem capacidade de sentir por muito tempo,tudo com eles é mais fugaz, mais efémero, mais hoje do que sempre.Nós, como sempre, somos mais as recordações de ontem, os presentes de hoje, os sonhos de amanha...mas o "para sempre" é igual ao eterno, ou seja "infinito enquanto dure"!

Fredd disse...

Se aprendi alguma coisa com o divórcio foi nunca dar a relação como garantida, lutar todos os dias por ela, só assim é que pode perdurar.