voltas e mais voltas

foi bom e quero mais. ou como a minha mãe me ensinou, "gostava muito" de mais. há um mundo por descobrir e o bocadinho que descobrimos foi muito bom. o tempo ajudou, nisso reconheço a sorte, o céu azul, o sol sempre a espreitar, o calor q.b. aventuras e furos nos pneus não faltaram, mas faz parte! faz impressão ver tanta área ardida e pensar que foram fogos postos é criminoso.

começámos pela aldeia submersa. tendo em conta que o verão foi seco e ainda não começou a chover, o nível da barragem está baixo, o que nos permitiu ver o que resta das casas desta que foi em tempos uma aldeia habitada.

não é sempre que se pode estar por baixo de uma barragem, como quem diz. pensar na força que aquela água tem e que apenas uma "parede" a segura, dá-nos uma sensação de fragilidade considerável.

diga-se que as águas límpidas são bem geledas...

 tudo o que sobe, desce. e assim foi, subimos e subimos, nesta 5km, e parece que não, mas olhando com atenção, há ali uma maluca a descer cautelosamente de bicicleta. valeu o esforço, a vista era espectacular e a aldeia típica que encontrámos bastante pituresca.

é uma vista deslumbrante, infelizmente não subi ao topo dos topos, as alturas não mo permitiram. eu hei-de conseguir, aos bocadinhos eu hei-de chegar lá... mas que foi um grande avanço pessoal foi, não reconhecido, mas isso são outras histórias!

2 comentários:

Rita Lagarto disse...

Que bom Carol! Que inveja :p

Pura Lã Doce disse...

Espetáculo!! Realmente é um programa muita giro para se fazer e nem sempre nos lembramos...Beijinhos