O fim do mundo, ou quase

Quantos mais terão que morrer em massacres, ajustes de contas ou só porque o fusível de alguém deu o tilt até reverem o quão fácil é comprar armas em certos países? Como é que um pai/mãe recupera de uma coisa assim? Não consigo nem imaginar..

"...But when a gunman takes out kindergartners in a bucolic Connecticut suburb, three days after a gunman shot up a mall in Oregon, in the same year as fatal mass shootings in Minneapolis, in Tulsa, in a Sikh temple in Wisconsin, in a theater in Colorado, a coffee bar in Seattle and a college in California — then we’re doing this to ourselves. ....." - The New York Times

Sem comentários: