The New York Times veio a Portugal

Portugal não está no seu melhor. Não está fácil viver cá. O futuro não se avizinha aliviado. A imagem de Portugal lá fora, pelo menos para este fotógrafo do The New York Times, é de um país lastimoso. Eu não gostava de viver no país que mostram. E digo mais, eu vivo num Portugal que não é aquele, que não é só o que ali passa. Não é só esta fotogaleria. Existe um Portugal com côr, um Portugal com vida, um Portugal com esperança e que se está a erguer no meio desta catástrofe toda. Existem famílias que conseguem de alguma forma criar negócios, fazer crescer uma próxima geração. Que migram, ou não, e descobrem novos prazeres, novas cores, novos sabores, novas felicidades. Existe uma população que luta e quer lutar sem ser com pedras da calçada. Existe um Portugal que não é aquele e eu não percebo porque se teima em continuar o mostrar apenas o que um país tem de mal ao invés de salientar o que de bom existe. O quanto a exportação aumentou em certas áreas, o quão magnífico é o país, quer no litoral como no interior. Como há aldeias que não têm nem um desempregado pois há fábricas com sucesso, e ainda a crescer, que conseguem alimentar quase toda a população. Porque não mostrar (e aqui meus amigos este é um trabalho dos portugueses) o potencial que temos em tanto que aparentemente está escondido, se apenas nos concentrássemos também nessas áreas? Eu vivo num paraíso à beira mar plantado que muitos querem destruir com políticas e economias mal feitas. Mas eu acredito num Portugal maior.

Ou então sou só um romântica que para aqui anda.

3 comentários:

S* disse...

Detestei ver isso. Apareceu na TVI. Portugal não é um país cinzentão, não é um país de pobreza e de miséria. Também a temos, é certo, mas é ridículo reduzirem o país a isso. Lá nos States devem ter, comparando coisa com coisa, muita mais pobreza.

pastora disse...

não estás sozinha pelo menos!

Inês Barbosa disse...

A isto é que se chama ponto de vista. E este não ilustra Portugal, com certeza.