Achei que não ia falar sobre isto

Mas aqui vai. Hoje morreu um conhecido meu. Não era meu amigo, mas era muito amigo de amigos meus. Lembro-me de estar com ele na praia, ou à noite, ou sei lá onde, ainda éramos todos jovens inconscientes. Mas no fim de semana, numa qualquer feira de agricultura - no alto alentejo ou ribatejo ou baixo alentejo, eu nem sei agora direito - houve uns ciganos que deram o ar da sua graça, armou-se a confusão, alguns levaram facadas, ele levou uma no coração*. Acabou por morrer hoje, no hospital. A notícia deixou-me em choque. Ver a fotografia dele a aparecer repetidamente no facebook com palavras mais do que sinceras de grande amizade e respeito, fez-me ficar em choque. Não foi pelo seu sorriso impecável, se bem que é mesmo isso que me lembro quando penso nele, mas pela facilidade com que tudo desaparece. Um dia estamos todos aqui, no outro, pela maior palermice, da maneira mais horrorosa, mais estúpida, menos esperada, tudo muda. O mundo acaba para tantos que cá ficam. Não consigo imaginar a dor dos pais, irmãos, da mulher, dos amigos. Por muito que tente não consigo, porque me doeu a mim e eu não sou nada nem ninguém. Hoje há mais uma estrela no céu, certamente. Hoje questionei muito, repensei muito. Hoje dei um bocadinho mais de valor ao que tenho, relaxei um bocadinho mais. E senti-me triste até por isso, parece que é preciso algo menos bom acontecer para que possamos dar valor ao que temos de bom. Também eu rezarei hoje por ele e por todos os que cá ficaram, para que sejam fortes e saibam sorrir um dia, ainda que a dor nunca os vá abandonar completamente.


* a pessoa que o fez foi presa e assim espero que permaneça, não resolve nada, mas não pode passar impune um acto destes.

5 comentários:

Amelia disse...

é realmente triste :( lamento

Violeta Santos disse...

Que horror, este mundo está perdido mesmo :C
Paz à sua alma, muita força *

Orquídea disse...

:( que história mais triste...Lamento muito!!!

E disse...

Um amigo meu, grande amigo, faleceu há meses. Também foi assassinado. Sem culpa. POr lutar por um amor. acreditar quando tudo levava a crer que devia deistir. Ao mesmo tempo é triste e nobre, morrer por amor. Só que foi assassinado por quem o quis impedir de lutar. Porque lhe fazia concorrencia. Quando não existia concorrencia porque o meu amigo já lutava por uma causa perdida.

Ao contrário de muitas pessoas, não escrevi nada no facebook. Não quis e não consegui.

Mas isto para dizer, percebo a efemeridade. tudo passa.

Carol disse...

História dura essa também. Mas é como dizes, tudo passa. E para quem cá fica, fica também uma lição....
Obrigada e bem vindo!