Tenho, certamente, as prioridades trocadas

Mas já há muitos anos!



Hoje em conversa com as meninas na faculdade confirmei mais uma vez a minha insanidade, ou não. Eu tentei não comentar, mas não foi possível. Dizia-me, indignadíssima, uma rapariga que tenho em boa conta, pois nota-se que é trabalhadora, responsável e que gosta realmente de tirar boas notas e acima de tudo, ela percebe da coisa, que estava "indignada" pois tinha tido um 17 e uma outra rapariga a quem ela tinha explicado a matéria tinha ficado com 18. Não era justo. E notava-se que ela de facto não achava justo. Ora bem, eu, à disciplina em questão tinha dado pinotes com um 17, o 18 era um mortal encarpado à frente! Não me levem a mal, eu podia ter essa nota, não fazia era mais nada. Mas disse-o em voz alta "há mais na vida, para além das notas, o 17 é bom, não fiques tão chateada". A resposta que tive preocupou-me "tu não percebes, tu tens mais coisas na vida além da faculdade, eu vivo para isto, eu estudo e estudo para tirar grandes notas, eu tenho que ficar chateada quando há notas melhores que as minhas!" (qualquer coisa do género). A verdade é que até compreendo o ponto de vista dela, em parte, mas não sei se era capaz de viver assim. Não acredito que as notas façam essa diferença toda na altura de um emprego e não acredito que as notas por si ditem o que se sabe ou não. O certo é que depois das aulas eu fui treinar, aliviar o stress, e ela, tenho quase a certeza, foi estudar alguma coisa para casa. Eu espero que ela seja feliz com as opções dela e que não dê o tilte da cabeça, eu cá, para já, estou bem com as minhas. Cansada, desstressada e um dia de cada vez. O treino hoje soube-me pela vida, há uns bons tempos que o ergómetro não me sabia tão bem!!

5 comentários:

Sofia L. disse...

tu é que estás do lado saudável da vida, claramente (e ainda bem!)

Carol disse...

Esperemos que sim! Se todos pensassem assim o mundo era mais fácil, certamente :D

Amelia Pond disse...

Estou com a Sofia. Não deve ser uma existência muito feliz, a dessa rapariga... :)

E disse...

As notas são, mais que não seja, o convite para uma entrevista. Só!

Depois, é que são elas.

Trabalhei com uma colega da faculdade que tinha notas piores que as minhas, que eu próprio - admito - a julguei como menos capaz. Mas, a verdade, é que ela era bem melhor que eu.

Mas, não julgo essa tua colega - apenas a parte de ter que ficar chateada quando há alguem que tem melhor que ela, isso parece-me demais - porque ela pode ter uma certa satisfação pessoal que outras pessoas tiram com outras coisas. POr exemplo quando eu consigo acrescart mais peso para o meu wod. quando escrevo um texto que me orgulhe. ela, talvez, seja com as notas. Ninguém é melhor ou pior por iss. somo apenas diferentes.

Carol disse...

Eu sei, tens toda a razão. Somos todos diferentes e cada um terá satisfação no que melhor entender. Ninguém é melhor que ninguém por um simples número ou por gostar mais disto ou daquilo.

Mas quando disse que tenho as prioridades trocadas, por uma vez se calhar, não estava a ser sarcástica nem irónica. Eu acho mesmo que devia dedicar-me mais à nota em si e não só em saber a matéria e a nota que seja o que for.. a pressão dos exames nunca me favoreceu e é real, tiro mais partido de uma boa sessão de treinos e uma boa competição. Mea culpa.